Novidades

Martinho Lutero no Terceiro Reich

Seção “Pesquisa em curso”

Na estreia da seção “Pesquisa em curso”, na qual receberemos pesquisadores que realizam investigações no campo dos estudos judaicos, contamos com a contribuição da mestranda Caroline Alves Marques Mendes (PPGHC/UFRJ), que estuda a recepção Martinho Lutero no Terceiro Reich a partir de uma perspectiva cinematográfica. Confira, abaixo, um pouco mais do trabalho que Mendes vem realizando no Rio de Janeiro.

Por Caroline Alves Marques Mendes*

A ideia central do meu trabalho é problematizar possíveis origens da crença e da prática do antijudaísmo na Alemanha sob o Regime do Terceiro Reich. Essa prática não surgiu de maneira inédita na Alemanha, muito menos tem seus fundamentos apenas na ideologia do Regime Nazista. Antes, ela foi gestada em longa duração histórica e majoritariamente no continente Europeu desde os primeiros séculos da Era comum. Entretanto, o foco da minha pesquisa está na observação dos desenvolvimentos do antijudaísmo em parte do século XIX e suas recepções na Alemanha sob Hitler, em particular no âmbito do cinema.

captura-de-tela-2016-11-25-as-15-20-55

Além disso, uma vez disseminada essa crença e prática antijudaica na Alemanha, bastante sintomática da cultura europeia de então, outro elemento se tornou veio contribuir para que a perseguição encontrasse terreno fértil no Regime nazista: a colaboração e a catalisação dos efeitos dessa ideologia em meio às igrejas e teólogos católicos e protestantes. Nesse sentido, os diferentes Cristianismos alemães contribuíram significativamente para o Terceiro Reich através da consolidação de uma “religião nacional”, centrada na Bíblia, na Teologia e na Liturgia.

Em meio a disseminação e catalisação dessas ideias, foi possível observar  três formas de recepção: (I) a recepção da obra de Lutero – Os Judeus e suas Mentiras, de 1543 – a ponto de o próprio Hitler assumir a identidade de um “reformador” na Alemanha. (II) a recepção do pensamento antijudaico e sua disseminação na cultura cotidiana do povo alemão via instrumentos de propaganda de massa, tais como o cinema, patrocinado e organizado pelo próprio Regime nazista; e, por fim, (III) a disseminação de cultura material imiscuída na vida cotidiana do povo alemão.

Recepção

Segundo Martín-Barbero, em Dos Meios às Mediações, mais do que denunciar, o importante é compreender como a massificação funciona. Baseando-se nessa ideia, pretendo compreender como o processo de massificação do cinema de propaganda funcionou e, como recorte, como o projeto de converter Martinho Lutero em herói nacional encontrou no cinema sua mais eficaz ferramenta de massificação. Além disso, o autor sugere que, para que uma analise sobre recepção seja feita, é preciso investigar não somente o dominador, mas também o dominado e o conflito em si, no esforço de não considerar o receptor como apenas dominado e alienado:

Na redefinição de cultura, é fundamental a compreensão de sua natureza comunicativa. Isso é, seu caráter de processo produtor de significações e não de mera circulação de informações, no qual o receptor, portanto, não é um simples decodificador daquilo que o emissor depositou na mensagem, mas também um produtor (p.289)

O “método” da dialética escritura-leitura utilizado por Martín-Barbero permite analisar a relação fluida entre os atos de escritura e leitura dos folhetins no século XIX. A partir dessa metodologia, o autor identificou inúmeros traços da cultura popular na produção dessa narrativa literária e desenvolveu estratégias para procurar e reconhecer esses traços. Minha proposta é usar o mesmo critério (e formular novos, de acordo com a necessidade) para identificar esses traços da cultura popular no cinema de propaganda nazista (empregando novas formas de identificar os traços, já que se trata de um meio de comunicação diferente, o cinema) a fim de demonstrar o quanto a demanda popular estava incorporada, direta e indiretamente, na produção dessas obras e, ao mesmo tempo, a produzia

* Mestranda do Programa de Pós-Graduação em História Comparada do IH/UFRJ – Currículo Lattes: lattes.cnpq.br/9171655552924146

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: